Image Map

Resenha - A Viagem Do Tigre


Livro: A Viagem Do Tigre #3
Autora: Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Páginas: 483
ISBN: 978-85-8041-113-3
Pontuação: ★★★



Levei um ano para pegar esse livro para ler e acho que teria esperado mais um ano sem nem notar, porque essa série para mim até agora não foi grande coisa e em muitas ocasiões eu tive vontade de abandonar tanto o primeiro quanto o segundo livro, e não foi diferente com esse terceiro. Não fiquei nem um pouco animada para pegar o terceiro livro para ler tão cedo, mas decidi que estava na hora de ler o terceiro logo.


As páginas são amareladas, a fonte é okay, a capa é muito linda e pra mim a mais bonita da série, o titulo do livro é em relevo. Têm vinte e sete capítulos, sumário, prólogo e epílogo.

(páginas)

(capítulo)

Kelsey  e Kishan conseguiram resgatar Ren das garras de Lokesh, mas sua volta não foi exatamente com Kelsey pensou que seria. Um beijo, um abraço, troca de amores, uma noite romântica, caricias, e muito amor trocado entre os dois... Só que não!
Ren teve suas memórias apagadas em tudo com relação a Kelsey. Ninguém, nem o próprio Ren, sabe como isso aconteceu e nem porque. A certeza é que ele não sabe quem é Kelsey, não sabe que estão namorando, e não tem nenhuma recordação de momento nenhum com ela. E para piorar, ele sente dor e desconforto toda vez que está perto dela por muito tempo ou quando toca nela.


Nessa nova jornada, Kelsey além de tentar desvendar a profecia com a ajuda do Sr. Kadam, precisa também aceitar o fato de que seu grande amor simplesmente não a conhece e não sente nada por ela. Mas será que até mesmo uma memória apagada pode afastar e apagar completamente o amor verdadeiro, o laço que ambos compartilhavam?
Novamente com a ajuda da Deusa Durga, o Sr. Kadam, Kishan, Kelsey e Ren partem para mais uma jornada para tentarem quebrar mais uma parte da maldição recuperando um artefato/relíquia sagrada perdida há milênios. Dessa vez precisaram viajar em alto mar atrás de dragões, cinco dragões. Novas aventuras em um mundo mágico, com novos seres fantásticos, novas descobertas e... Um novo amor?
Já comecei lendo esse livro de maneira... Forçada. O que tornou a leitura um pouco mais lenta e incomoda. Novamente o livro e decepcionou como os outros, só que esse foi pior que os outros! Teve muito drama mal construído, drama ridículo, sem sentido, totalmente desnecessário... Simplesmente um drama sem cabimento!


Kelsey está muito magoada, confusa, triste, etc, por causa da questão da amnésia de Ren, além de que ele não pode tocá-la sem sentir dor e desconfortável. Sendo assim, um drama daqueles exageradamente dramáticos surge! Uma coisa que da vontade de jogar o livro na parede ou de gritar para Kelsey para com as bobeiras sem sentidos e os momentos de alto-piedades. É chato e desnecessário.


Mas porque é desnecessário?  Simples: Depois do que aconteceu com Ren, lá para página cento e pouca, quando a coisa começa a ficar dramática mesmo, Kelsey começa a ficar com Kishan, tanto como amiga quanto como algo mais, talvez... Ela busca conforto e tals. Não é novidade que Kishan gosta dela e sempre joga umas cantadas pra cima dela, sempre de brincadeira e também sempre a sério. A maneira como ela se aproxima dele faz com que dê esperanças ao coitado. Kelsey ama Ren e isso esta escrito no corpo dela inteiro, todos vêem isso, ela própria vê isso... Mas ela fica com draminha mal feito negando e se FORÇANDO a amar Kishan. Não que ela não o ame, ela ama, mas é um amor diferente do que ela sente pelo Ren... Muito diferente.  Quando digo draminha é porque ela fica fazendo de confusa quando não está.


Ren fica mudado o livro inteiro. Mas uma parte antiga dele ainda está lá e começa a surgir no decorrer do livro. Mas em um certo momento ele da uma desculpa para se afastar e meio que fica fazendo joguinhos desnecessários, mas Kelsey também não é toda inocente porque em certos momentos com Wes (vocês saberão quem é quando lerem o livro) ela ficou de bobeira mesmo vendo as reações dos irmãos.
Kisahn é... Diferente do que eu pensava... Na verdade nesse livro ele está diferente. Ele era mais BadBoy, mais atrevido. Mas nesse livro ele está tão calminho, tão... Deixado de fora kkkk. Sei lá, ele não parece o mesmo personagem de O Resgate do Tigre. Em muitos momentos Ren se mestra ter mais “garra” do que Kishan, ter mais atitude quero dizer.


Desde o primeiro livro sempre achei o romance meloso, agora com essa confusão desde o segundo livro, o romance passou a ser dramático de um jeito mal feito. Em muitos momentos me senti lendo uma fanfic amadora.  O triangulo amoroso é desnecessário, ta na cara de todo mundo incluindo da própria Kelsey quem ela realmente ama, a confusão que ela diz sentir é um teatro feito pela autora como meio de tentar fazer um drama... Um drama dramático além da conta e desnecessário! Acho ridículo a esperança que Kelsey dá para Kishan, eu sinto pena dele, e pior é que eu to começando a ter certeza que ele próprio sabe que Kelsey não ama ele como ele quer.

Mas agora vamos falar das partes boas. As partes de aventura, ação. Essas sempre são as melhores partes desde o primeiro livro e é o que eu mais sinto prazer de ler, e com certeza é o que me fez ter força de vontade para continuar a leitura desse livro. Amei acompanhar as aventuras de Kelsey, Ren e Kisahn enfrentando cada Dragão de uma maneira diferente e amei os dois últimos capítulos do livro com a questão do tubarão, achei mais emocionante que o Kraken. Felizmente nesse livro não teve tanta historinhas do Sr. Kadam, quando ele começa a falar não para ais e dura umas dez páginas e eu não aguento, mas dessa vez teve bem menos (Suspiro de alivio). Kelsey como sempre é valente e está sempre disposta a se sacrificar por seus tigres e eu admiro isso e vejo por tudo que ela enfrenta para ajudá-los a quebrar a maldição. Também continuo amando o jeito sarcástico dela, os comentários que ela faz, sempre amei personagens com sarcasmo. Acho que a autora sabe construir cenas de ação perfeitamente e em minha opinião ela é melhor nisso que no drama do romance.


Nesse livro temos algumas culturas misturadas, a cultura da China, Índia e Grécia, o que fez com que eu gostasse um pouco mais do livro, principalmente com as poucas vezes que mencionavam histórias da cultura da Grécia (porque tenho um amor incondicional por deuses, e não, eu não sou fã de Percy Jackson, simplesmente sempre amei as histórias de deuses!). Mas o foco maior foi mesmo a cultura chinesa, e foi maravilhoso conhecer um pouco da crença da China.

Eu fiquei um pouquinho curiosa para ler o último livro, mas não o suficiente para pega-lo agora e nem tão cedo. Realmente não tenho tanta pressa e nem entusiasmo kkkkkk o que realmente mata nesse livro é esse romance. 


6 On 6: Março


Estou tão aliviada por ter conseguido tempo de postar o 6 On 6. Achei que não iria conseguir postar hoje e mais uma vez o 6 On 6 ficaria atrasado... Mas cá estou eu super feliz com o tema desse mês: Ilustrações.
Amo diversos tipos de ilustrações, e estou bem anima por mostrar minha próprias ilustrações. Amo desenhar, é uma coisa que ultimamente não tenho tido tempo, porém sempre tenho tantas inspirações/ideias que anoto tudo em detalhes (quase como um esboço porém em forma de texto haha) para quando tiver tempo começar a traçar.


Esse desenho é antigo, bem antigo... De 2013 hahaha... Meus traços melhoraram um pouco, porém algo que ainda tenho muita dificuldade em fazer com perfeição ou com que chegue próximo ao perfeito, são rostos. Não sou boa em fazer boca, nariz e olhos pequenos. Então no inicio, quando comecei a desenhar, todos os mus desenhos não tinham rostos, com o tempo fui colocando só a boa, e depois de mais um tempo comecei a fazer rostos, porém nunca ficam muito bons! Sou péssima nisso haha.


Esse já é atual, fiz-o no inicio de 2016. Outra dificuldade que tinha era as mão e pés, isso não mudou muito atualmente!


Este é um outro desenho antigo. Passei a colorir meus desenhos depois de muito tempo deixando-os no preto e branco. O inicio do meu portifolho é todo de desenhos pretos e brancos. Até hoje não consigo desenhar uma rosa, essa que vocês estão vendo na foto só consegui com o auxilio de um tutorial do youtube e ainda sim foi muito difícil faze-la, levai mais tempo nessa rosa do que no desenho inteiro!


Outro desenho antiguinho haha. Nunca mais consegui fazer esse cabelo, se bem que na verdade nunca tentei de novo né. Mas toda vez que olho para essa foto me vem na cabeça diferentes tipos de penteados em diferentes cores que me da vontade de desenhar haha.  Eu tentei achar uma foto melhor, mas com tantas pastas de foto, acabei pegando a primeira que vi, então desculpem a qualidade haha.


Atualmente tenho me dedicado as pinturas em telas, já faz algum tempo, alguns anos, que não desenho na folha. Quero tentar algo novo e fazer aquarela, mas onde moro não vende os materiais que preciso... :(


Esse foi o último desenho que fiz e acho que foi em 2015, Nunca consegui termina-lo :'(



Bom é isso pessoal. Espero que vocês tenham gostado dos desenhas/post.
Beijos e obrigada por tudo!



❤ Romantize-se | Console cor-de-rosa | Maricota Cara de Ricota | Modo Meu It's Me, Mari 


Resenha - Escola Noturna - O Legado


Livro: Escola Noturna – O Legado #2
Autora: C.J. Daugherty
Editora: Suma De Letras
Páginas: 289
ISBN: 978-85-8105-233-5
Pontuação: ★★★★



Demorei para pegar esse livro porque queria esperar a continuação, mas o ano passou e a Editora não deu sinal de vida para o terceiro livro. E estou até com medo de que parem de publicar porque o final me deixou louca para o terceiro!


As páginas são amareladas, a fonte é pequena (triste), a capa linda (amei esse tom de azul) e achei bem melhor que a original. Têm trinta e dois capítulos e um Epílogo.

(capítulo)

(páginas)

Allie Sheridan está de volta a Academia Cimmeria depois de ser perseguida pelos capangas de Nathaniel quando estava em sua casa em Lodres. Com a ajuda da os contatos misteriosos de Isabelle (a Diretora), Allie fica em segurança na escola onde agora e pela primeira vez ela o vê como um lar.
Com os acontecimentos e algumas poucas descobertas do primeiro livro, Allie agora sabe que é neta de Lucinda Meldrum (a mulher mais famosa da política britânica e foi a primeira chanceler do sexo feminino e agora Presidente do Banco Mundial) e que Nathaniel está atrás dela para atingir Lucinda e assim tentar ganhar algo com isso que Allie ainda não entende até porque não conseguiu descobrir toda verdade.
Nesse segundo livro, Allie precisa aprender a se defender por causa dos ataques constantes que tem lhe cercado, Allie entra para a Escola Noturna e seus dias agora são repletos de tarefas pesadas na madrugada: Lutas, auto defesa, observação, suspeitas, saber procurar pistas, etc. Tudo que um bom espião sabe fazer. Porém com tudo que está acontecendo, com muitas pessoas traindo o tempo todo sua confiança, e agora que todos da Escola Noturna sabem que a um espião de Nathaniel na escola (porém não sabem quem é), Allie não sabe em quem confiar, em quem pode contar as coisas. Esta com medo toda hora e se perguntando quem realmente é seu amigo?


Esse segundo livro foi mais fraquinho que o primeiro. Eu amei demais o primeiro, tinha mais um toque de terror (coisa super leve, mas que dava para sentir a presença de um toque de terror) e um suspense maior. Nesse segundo livro o foco foi o Triangulo amoroso que eu confesso dilacerou meu coração com as escolhas de Allie. Não teve tanto suspense, não teve muitas revelações, na verdade não teve quase nenhuma! O suspense/mistério ainda está presente, porém muito fraco e com pouco foco.


Allie está... diferente. Depois de ser traída no primeiro livro e descobrir algo sobre seu irmão (considerado traição dupla), Allie ta muito desconfiada, o que não é ruim e ela tem toda razão de estar porque ninguém tem contado nada para ela, e quando contam... Não contam direito ou só contam uma parte escondendo o resto. Nesse livro Allie tem tomado decisões horríveis, ridículas, desnecessárias, idiotas e imprudentes. Odiei ela metade do livro a cada burrice dela!


Carter... AH Carter! Meu lindinho fofo, mas... Muito protetor! Ta na cara que ele gosta demais da Allie assim como ela dele, porém ele é muito protetor e parece não acreditar realmente no potencial da Allie, como se ela fosse delicada demais para se defender (ela era, mas a partir do momento em que entrou na Escola Noturna e teve treinos rigorosos por meses, Allie deixou de ser uma menininha frágil e passou a se salvar ao invés de esperar alguém salva-la), então ele fica muito em cima dela e as coisas que ele fala realmente da à impressão de que não acredita que ela é capaz. Outra coisa é o ciúme dele, por um lado eu até entende esse ciúme porque ta na cara a divisão de amor da Allie, mas acho desnecessário ele dizer de quem ela pode e de quem ela não pode ser amiga. Mas ainda torço por ele, amo Carter!


Sylvain está mudado, depois da mancada horrível e imperdoável que ele deu no primeiro livro, Sylvain está tentando se redimir e mudar. E ta funcionando, ele mudou muito, o achei menos todo cheio de si e mais carinhoso e se mostrando realmente apaixonado por Allie, porque desde o primeiro livro achei que a paixãozinha que ele sentia por Allie era passageira ou só algo de momento, nunca engolir essa amor que ele sentia por ela e ela por ele, mas nesse livro (na verdade no finalzinho do primeiro livro) deu para ver que ele realmente ama Allie e está super arrependido do que ele fez. Eu particularmente não perdoaria, eu ficaria até assustada em chegar perto da pessoa hehe.
Amei conhecer Zoe, uma garotinha de treze anos já sabe de tudo e a mais valente! Amei a inocência dela em certos momentos, amei seu jeitinho valente e sua postura madura, mas ainda com aquela alma de criança. Odiei Jo assim como no primeiro livro, nunca fui com a cara dessa personagem sempre achei ela um pouco... dependente e um fantoche em certas mãos, eu acho que ela se deixa muito levar pelo o que as pessoas dizem, ela nunca me pareceu ser uma pessoa compreensível para com outros.


As escolhas de Allie em quem confiar (para quem contar tal coisa e para quem não contar) foram destruindo certas amizades, assim como também abalou a confiança de certas pessoas que queriam ajudá-la, mas por causa de suas mancadas e incertezas ela acabou perdendo algumas pessoas que confiavam nela.
Foi um livro fraquinho, tanto que a leitura foi arrastada em certos momentos, e isso não foi só por causa da fonte pequena (fontes pequenas sempre fazem minhas leituras serem mais devagar). Mas mesmo assim eu gostei do livro, estou louca para o terceiro e como esse ano ele não foi publicado, estou com medo que a Editora tenha esquecido ou deixado de publicar essa série composta por cinco livros. 


Resenha - The Heart Of Betrayal


Livro: The Heart Of Betrayal
Autora: Mary E. Pearson
Editora: DarkSide
Páginas: 395
ISBN: 978-85-945-4011-9
Pontuação: ★★★★★ 



Tentei ao máximo não pegar o livro para ler enquanto não tivesse o terceiro em mãos, mas a curiosidade era tanta que não consegui me segurar por muito tempo. A DarkSide anunciou que o terceiro livre seria publicado ainda nesse semestre, então não está tão longe assim né... Agora mais do que nunca necessito da continuação!
Nem preciso avisar que terá spoiler do primeiro livro né?! Principalmente revelando a identidade do assassino e do príncipe, então se você não quer saber quem é quem porque ainda não leu o primeiro livro, sugiro que pare por aqui.



As páginas são amareladas e com a textura grossa que tanto amo haha. Nem preciso comentar da beleza da capa né! Têm sessenta e quatro capítulos, os capítulos maiores narrados por Lia e os capítulos de duas/três páginas mais ou menos narrados ou por Rafe ou Por Kaden.

(capítulo)

(páginas)


Depois dos últimos acontecimentos em The Kiss Of Deception, Lia é prisioneira em Venda. Kaden falhou em cumprir com sua tarefa de matar a Princesa de Morrighan, pois Lia mostrou ser muito mais do que uma Princesa. Então, como forma de tentar mante-la viva, Kaden a leva para o Komizar, líder do reino bárbaro de Venda, mesmo sabendo que Venda jamais faz prisioneiros e sabendo que Komiar odiaria vê-la viva.
Venda um lugar conhecido por ser bárbaro, um lugar que despreza a realeza. A presença de Lia e Rafe deixarão todos em Venda atentos e raivosos.


Rafe vai ao resgate de Lia, e para isso ele sabe que precisa entrar em Venda, mas não como um príncipe. Com um disfarce convincente, Rafe consegue permanecer em Venda, mas nem tudo é tão simples. Com a presença dele, olhos estão em cima de Lia e Rafe cheios de desconfiança esperando que ambos deixem cair a mascara que ambos puseram para salvar suas vidas.
Constantemente vigiados, fica difícil ter esperanças de saírem de Venda. O Komizar é um homem faminto por poder, e depois de algum tempo ele vê certa utilidade em Lia e a usa, mesmo sem acreditar no Dom que ela possui.


O Dom começa a se manifestar mais vezes, fazendo Lia ver coisas que já não existem e ouvir coisas que foram esquecidas junto aos Antigos. Com a ajuda de alguns aliados e de seu próprio Dom, Lia consegue sobreviver um dia de cada vez naquelas terras de povo faminto e soldados bárbaros brutais. E a cada dia, Lia descobre a verdadeira história sobre si mesma, sobre seu lar Morrighan, e sobre a verdade de Venda.


Não tenho palavras que descrevam a perfeição e a maturidade desse livro! Personagens ricos, a descrição dos lugares, reinos, povos, é simplesmente encantadora.
Mesmo depois de tudo que passou nas últimas duzentas páginas de The Kiss Of Deception, Lia permanece com a cabeça levantada e a língua mais afiada ainda. Desafiadora, guerreira, inteligente, observadora, bondosa, rápida e superior. Tudo isso e provavelmente muito mais define Lia. Uma personagem que decidida e corajosa, madura e valente! Desde o primeiro livro amei Lia, a forma como ela via as coisas, como ela desejava as coisas e como em nada se parecia com uma Princesa. Adora os desafios dela, adoro quando mesmo depois de ser derrubada ela se ergue maior ainda que o oponente na maioria das vezes um paço a frente.


Os rapazes, Rafe e Kaden, não têm um foco muito grande nesse livro como teve no primeiro, tirando as partes em que narram e o inicio do livro, eles realmente quase não aparecem. O fato de Lia e Rafe serem vigiados e separados constantemente torna difícil se comunicarem ou se verem, nas raras ocasiões o momento é muito rápido! Kaden em um determinado momento do livro é enviado em uma missão e passa uma semana fora, o que faz com que ele desapareça do livro por algum tempinho também, tirando as partes que ele narra, e quando volta também desaparece um pouco. O romance não é o foco como foi no primeiro livro, existe muito mais mistérios nesse segundo livro, muitos respondidos parcialmente e outros sem respostas.



Fiquei bem triste com a morte de uma pessoinha no final do livro, eu achei injusto e meu coração se dilacerou... Foi triste e cruel! Gostaria que Lia tivesse dado mais atenção ao livro que roubou do Chanceler no primeiro livro, ela esta na posse dele esse tempo todo e só deu uma olhadinha nele no primeiro livro, e nesse segundo ela olha uma vez e esquece completamente dele. E toda vez que ela traduz uma parte mínima do livro ela descobre algo novo... Mas depois nunca continua a traduzir, simplesmente esquece o livro! Da agonia!


O Komizar é um homem com um grande desejo de poder, apesar de Venda e ele odiarem a realeza, a burocracia de Venda parece se mover exatamente como uma monarquia. O Komizar parece agir como um Rei. Ele é uma pessoa que na maior parte do tempo transmite a áurea e a postura de um superior temido, e também a calma. Uma calma sinistra que deixa qualquer um ate mesmo Lia hesitante. Ele parece sempre estar um passo a frente com tudo planejado, apesar de algumas vezes ele ser desafiado por Lia, em determinados momento ele mesmo se auto-atinge. O povo começa a confiar tanto em Lia do jeito que ele quer, que em determinados momentos ele vê seu poder, a lealdade do povo, se direcionar a outra pessoa. E por ser um homem sedento por poder isso faz com que ele mostre um lado mais monstruoso dele.




Espero muito que o lançamento do terceiro livro seja logo porque não vou aguentar esperar! Assim que eu comprá-lo lerei de imediato! Preciso saber sobre os irmãos de Lia, se eles acreditaram ou não (quem leu o livro irá entender), quero saber como ficou Pauline depois de descobrir algo, quero saber como esta Kaden depois desse final do livro, assim como também quero saber dos amigos de Rafe! Não me aguento de curiosidade! 

Image Map
©MY SECRET BOOKS 2015 ♥TODOS OS DIREITOS RESERVADOS ♥ DESIGN E ILUSTRAÇÃO POR TALITA THOMAZ♥TECNOLOGIA DO BLOGGER.