Image Map

Resenha - Trono De Vidro - A Herdeira Do Fogo


Livro: Herdeira Do Fogo #3
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 514
ISBN: 978-85-01-40140-3
Pontuação: ★★★★★ 



Eu estou lendo essa série super devagar, mas confesso que esta difícil. Mal consigo me segurar para não sair correndo, assim que acabo a leitura de algum livro dessa série, para pegar o próximo volume. Eu to me corroendo aqui presa nas cordas para pegar logo o quarto livro. Porém essa série não foi terminada ainda, esse ano (acho que em outubro) vai sair o último volume lá nos EUA, e aqui no Brasil esse ano vai sair o livro do Chaol que se passará durante os acontecimentos do quinto livro (pelo que eu sei, ele não estava presente em nenhum momento do quinto livro, pois ele estava em outro lugar), e ano que vem sairá o sexto livro (ou no caso o sétimo, né) aqui no Brasil. Eu odeio ter de esperar muito tempo para o lançamento de um livro, então esse é o principal motivo por estar lendo essa série devagar. Mas ainda esse ano, vou pegar o quarto livro para ler com certeza, logo depois que lançarem a Torre Do Alvorecer (livro do Chaol) aqui (a Editora falou que será no inicio de Junho). Essa resenha vai ser um pouquinho grande, mas juro que não tem spoilers do livro, mas em spoilers dos livros anteriores.


As páginas são amareladas, a fonte é grande, o livro é dividido em duas partes: 1 Herdeira Das Cinzas; 2 Herdeira Do Fogo, têm um mapa e têm sessenta e oito capítulos. O livro é narrado por seis personagens: Celaena, Chaol, Dorian, Aedion, Sorscha e Manon (Rowan narra muito, muito pouco, tipo umas duas/três vezes se não me engano).

(Páginas)

(Capítulo)


(Mapa)


Celaena Sardothien, a assassina de Adarlan e Campeã do Rei de Adarlan, está a caminho de Wendlyn a terra em que a magia e feéricos ainda existe. E a terra em que sua tia Maeve governa. Celaena viveu dez anos escondendo um segredo muito grande, um segredo do passado que ela insistiu com todas as suas forças de fugir, de se esconder. Mas agora não tem mais desculpas, não tem mais escapatória... Celaena terá que aceitar seu antigo eu, seu legado, ela terá de se tornar Aelin Galathynius herdeira de Terrasen.
Ao chegar em Wendlyn ela faz um acordo com sua tia nem um pouco convidativa, em troca de respostas sobre as chaves de Wyrd que a assassina quer para destruir os planos do Rei de Adarlan, Celaena terá que mostrar seu grande poder, porém primeiro ela terá que saber controlá-lo já que ficou dez anos inteiro sem utilizá-lo. Sendo assim, ela terá de treinar com o Príncipe Rowan, um feérico de cara amarrada e muito sério que não tem piedade ou medo de ter de brigar com os punhos, seja com mulher ou homem. Até que Celaena obtenha o consentimento dele de que está pronta para ver Maeve, ela terá de treinar muito para alcançar seus objetivos.



Enquanto isso em Forte Da Fenda, Chaol que já sabe sobre o segredo de Celaena, está indeciso do que fazer em sua vida ou de como se sentir a partir de agora. A partir de agora que as coisas mudaram, e mudarão mais ainda. Uma coisa ele sabe com certeza: ele sempre apoiará seu amigo, o Príncipe Dorian, e sempre servirá a ele. Mas será que agora que o Príncipe descobriu seu poder, Chaol ainda o defenderá? Pois o que o Príncipe é - o que Celaena é - vai tudo contra o que ele defendia. Apesar da confusão que se criou entre Celaena e Chaol, Chaol ainda tenta ajudá-la de alguma forma, sabe que é a coisa certa, mas ainda assim ele não sabe a quem apoiar, ou a quem ajudar.
Em um lugar no Ômega, as bruxas de todos os tipos, mesmo as rivais, se unem para um acordo com o Rei de Adarlan. Não se sabe muito bem o que o Rei pretende, mas as bruxas ganharam algo especial: as serpentes aladas. Elas precisaram dominá-las como as mais novas montarias, prontas para a guerra que está por vir.



Esse livro ele foi bem diferente dos outros dois, pois esse terceiro livro se focou completamente na auto-descoberta e em treinos. Enquanto os outros livros eram focados em desvendar mistérios/charadas, descobrir algo, explorar, etc. Esse terceiro livro, tanto Celaena quando Dorian estão descobrindo seus poderes, apesar de Celaena sempre ter tido consciência de seu poder, ela nunca o usou desde que a magia foi proibida em Adarlan, então ele teve que treinar e se auto-descobrir. Com o Dorian a mesma coisa. Então não teve nenhum mistério, tirando o fato de quem está matando semifeéricos, apenas treinos e auto-descobertas mesmo. E não foi ruim, foi bem legal na verdade!


Nesse livro temos muitos personagens novos, bem legais e interessantes. Cada um com uma função diferente e um propósito e importância bem forte nesse livro e nos próximos (acredito eu). Também temos lugares novos, criaturas novas... E, para quem não leu A Lâmina Da Assassina (ou mesmo para quem leu), talvez não tenha notado, talvez sim, mas há uma menção de um personagem que até então só apareceu em A Lâmina Da Assassina, uma menção que não traz exatamente o nome do personagem, porém a descrição bem breve desse personagem, e quem não prestar atenção talvez nem se de conta. Eu fiquei feliz com isso, porque até então fiquei me perguntando sobre duas das histórias que trás em A Lâmina Da Assassina, uma (a que mais fico me perguntando) é a da curandeira, e a outra é a do deserto. Sempre fiquei me perguntando que importância, ou quando, essas histórias se encontrariam no decorrer da série ou se voltaríamos a ver esses personagens que a Celaena conheceu em A Lâmina Da Assassina, e até o momento não apareceram ou foram citados, com exceção do Sam e Arobynn, nos livros da série. Acho que já está acontecendo...



Celaena está mais quebrada do que nunca. Nesse livro conhecemos um pouco do passado dela, quando ainda era a herdeira de Terrasen, Aelin. Depois de tudo o que passou no segundo livro, do que teve que fazer e aceitar e ver, Celaena precisa enfrentar muita coisa nessa jornada, algo muito mais que seu poder adormecido e descontrolado, ela terá que enfrentar seu coração e encarar todos os tipos de sentimentos que ocultou por tanto tempo. Celaena como sempre é teimosa demais com certas coisas e muito orgulhosa, sem falar em mimada e... forte. Mas essas são de certa forma as melhores qualidades dela, pois apesar de tudo, tudo o que ela é faz ela melhor, faz ela boa e coerente.


Rowan é o mais novo personagem desse livro. Um feérico muito forte e um guerreiro de duzentos e não sei quantos anos. Ele tem um humor muito forte, quase como o de Celaena para certas coisas, e um passado sofrido que carrega até hoje na alma e no coração, mais uma vez: quase como Celaena. Ele e Celaena são como cão e gatos, na verdade, piores, suas brigas sempre levam a ambos em um combate corpo a corpo, onde a coitada da assassina sempre se sai mal... mas nem sempre kkk. Além de ser muito durão e mal humorado, Rowan no fundo tem uma alma boa que é descoberta logo depois do meio do livro, que é onde vemos uma boa amizade surgir entre a assassina e Rowan.


Manon Bico Negro é outra nova personagem, uma bruxa de sangue muito, muito, muito frio. Mas... talvez não. Ela faz parte do temido clã das Bruxas Bico Negro, é a herdeira do trono Bico Negro. Essa bruxa é um mistério. Conforme o livro vai passando menos ela se entende e mais nós a entendemos. No inicio eu não ficava ansiosa para ler os capítulos que ela narrava, mas depois do encontro com as serpentes aladas eu já ficava ansiando pelos capítulos dela. É uma personagem que tem pouca descrição, apenas que é fria e sem emoções, como se não tivesse realmente um coração. Apesar disso é uma personagem muito interessante e que deixa o leitor curioso, quero sabe o que vai acontecer com ela nos próximos livros.


Sorscha é uma personagem reclusa, tímida e talvez até um pouco insegura. É a curandeira que trabalha no palácio e que sempre teve uma paixão secreta por Dorian. Durante esse livro eles se conhecem melhor por causa das coisas que aconteceram no final do último livro, apesar de ela não ter estado presente nos evento ocorrido, ela foi quem cuidou dos três indivíduos que estavam presentes, e bom... ela não é burra, ela liga dois mais dois e... Já viu, né.


Dorian está tentando lidar com a mais nova descoberta de si mesmo, do que possui, do que é. Ele meio que está sozinho nessa jornada de auto-descoberta, com exceção de Sorscha, mas apesar disso ele sabe o que quer, por mais que tenha medo e esteja tentando entender e controlar, ele sabe a quem apoiar e de que lado está.


 Já o Chaol, ele está em um impasse nesse livro, não sabe a quem ajudar ou a quem apoiar, a quem servir, ou o que fazer. Ele esta na corda bamba, algo que achei desnecessário, porque está bem óbvio tudo. O Príncipe Dorian já escolheu seu lado, o lado certo, só que Chaol está indeciso, mesmo que ele sempre tenha dito, e permanece dizendo, que seguiria Dorian. A questão é que ele não gosta das novas mudanças, ele não gosta de como tudo se revirou do nada, e ele não sabe como agir, como aceitar e começar a lutar. O bom é que ele fez coisas nesse livro, ele não ficou parado, mas ele poderia ter feito muito mais se não fosse tão indeciso.


Aedion é outro novo personagem, um com uma grande importância nesse livro. Infelizmente não posso falar muito dele, porque qualquer coisinha que eu falar vai ser um spoiler. O que posso dizer é que adorei saber quem ele é e para quem ele luta. Estou ansiosa pelo famoso encontro dele com um certo alguém, e para como as coisas seguiram a partir de agora com ele por perto.


O livro é muito rápido de ler, cada capitulo te prende e cada novo personagem te deixa mais curiosa, e a descoberta do que pode acontecer com certos personagens faz com que você acabe lendo muito rápido para ter as respostas. Eu estou mega ansiosa para o quarto livro, mas vou esperar até junho quando eu tiver em mãos a Torre Do Alvorecer Ah, e para quem não sabe, a autora tinha pedido para os leitores que ainda não leram o quinto livro, lerem o livro do Chaol primeiro e depois seguir para o quinto livro: Império de Tempestades. Eu vou fazer assim, claro que não é obrigado a fazer isso gente, a autora só deu um conselho de que seria melhor e na ordem que ela acredita ser a certa ler o livro do Chaol antes do Império de Tempestades. Em fim, super indico o terceiro livro, até o momento estou amando incondicionalmente essa série!



Personagens De Livros Que Odeio


Esse post está para ser feito há muito tempo, mas sempre me esquecia. Até que um dia fiz uma agenda de futuros posts e lembrei de fazer esse aqui.
Em todos os livros sempre tem aqueles personagens que a gente odeia, com todas as forças nó odiamos kkk. Ódio talvez seja uma palavra muito forte, prefiro não gosto ou não vou com a cara, o santo não bateu, etc. Os livros que tiverem resenha deixarei o link.


Vamos começar com um tiro... Ou melhor, uma confusão de personalidade:

Maven (A Rainha Vermelha)  – Um personagem que eu tinha gostado muito no primeiro livro, mas então ele mostra sua real face e... É uma confusão, uma confusão ruim. Apesar de odiar esse personagem de certo modo eu ainda gosto muito dele.


Chaol (Trono De Vidro) – É óbvio que esse personagem não é odiado, e eu meio que não desgosto dele, mas depois do segundo livro eu simplesmente... Como posso dizer? Minha paciência com ele é escassa. No primeiro livro eu gostei dele, mas não amei nem shippei ele com Celaena, mas eu o achava um personagem interessante, talvez um pouco seco... Mas tudo o que eu achei que poderia conhecer e gostar mais no futuro foi por água abaixo depois do segundo livro. Não desgosto desse personagem, mas ele perdeu muitos pontos comigo no segundo livro, e daí em diante já vejo ele com outros olhos e não de uma maneira muito animadora.


Theo (Mil Pedaços De Você) – Apesar de o Theo desse livro não ser exatamente o correto (só quem leu o livro vai entender), não ser o da dimensão certa, eu não me animei com o personagem desde o primeiro momento, ele acabou deixando essa impressão no ar e simplesmente não vou com a cara dele mesmo quando ele está normal. Para mim foi um personagem chato.


Rainbow (Rainbow) – Rainbow Walker é uma personagem sem sal e insuportável. Muito chata, tediante, boba, e sem sentido. É tudo que tenho para dizer.


Tamlin (Corte De Espinhos E Rosas) – No primeiro livro eu já não fui muito na onda de Tamlin, felizmente. Eu não desgostei dele, mas ele não me agradou, não conquistou e simplesmente achei o romance dele com Feyre muito estranho, simplesmente não engolia. E ai chegou o polêmico segundo livro! Foi onde eu o odiei por completo, ele já não me descia bem, depois do segundo livro então... A raiva e o desgosto por ele eram quase infinitos!


Jeb (O Lado Mais Sombrio) – AH eu não tenho nada de bom para falar desse personagem. Em nenhum momento do primeiro livro eu fui com a cara dele e jamais shippei ele com a Alyssa. Personagem mais sem noção e super protetor, ai me dava uma raiva toda vez que ele impedia, ou enrolava Alyssa em um casulo, de fazer as coisas. A garota jamais aprenderia com seus erros porque ele jamais deixa... Nossa...


Kylie (Nascida À Meia-Noite) – O primeiro livro foi tranquilo, mas a partir do segundo livro eu já não aguentava mais engolir os dramas desnecessários e exagerados da Kylie. Tudo, absolutamente tudo era um problema para. Qualquer coisinha era um grande problema para ela resolver: quem ela era, suas amigas, os fantasmas, o romance, o acampamento, seus pais, sua vida, os mistérios que aparece a cada livro... Ai é uma coisa muito exagerada que era transformado em um drama sem fim!


Então pessoal é isso. Esses foram os personagens que eu não gosto muito, uns admito que odeio, mas a maioria é mais pelo santo não bater mesmo, ou simplesmente por ser um personagem muito pé no saco.



Espero que tenham gostado.


Obrigada por tudo, beijos.
Image Map
©MY SECRET BOOKS 2015 ♥TODOS OS DIREITOS RESERVADOS ♥ DESIGN E ILUSTRAÇÃO POR TALITA THOMAZ♥TECNOLOGIA DO BLOGGER.