Image Map

Resenha - Corte De Espinhos e Rosas


Livro: Corte de Espinhos e Rosas #1
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas:
ISBN: 978-85-01-10587-5
Pontuação: ★★★★★ 



Meu primeiro livro da famosa Sarah J. Maas. Conheço Trono de Vidro só por falar, mas nunca tive interessem em ler, a sinopse nunca me chamou a atenção. Porem, Corte de Espinhos e Rosas foi diferente, quando li a sinopse fiquei bastante curiosa e comprei o livro assim que foi lançado. Porém demorei para pega-lo e lê-lo, um ano pra ser mais exata, eu sabia que o livro poderia ser muito bom, ainda mais depois de tanta gente elogiá-lo, e como eu detesto esperar o lançamento do próximo livro, decidi que só iria começar a ler quando o segundo livro fosse publicado e eu já estivesse de posse dele. Agora pretendo ler o livro quando estiver próximo do mês que iram publicar o terceiro livro.
Mas o final desse livro me deixou muito ansiosa para ler o segundo livro! Santo Pai!


As páginas são amareladas com uma textura grossa que eu amo (sim eu sei, sou esquisita por reparar em texturas de folhas haha), a fonte é grande, a capa eu achei simplesmente perfeita, muito melhor que a original. O livro tem quarenta e seis capítulos super curtinhos.

(páginas)

(Capítulo)


Depois de anos sendo escravizados pelos Feéricos, os humanos finalmente tem sua liberdade graças a um tratado feito pelas duas espécies. Depois de uma longa guerra, muitos feéricos perceberam que a matança era desnecessária. Então um tratado foi criado cujo objetivo era proibir que feéricos escravizassem humanos e manter feéricos e humanos separados. 
Feyre é uma garota de dezenove anos que teve a família levada à pobreza após o pai perder toda fortuna. Apesar de ser a mais nova dentre as duas irmãs, Feyre se vê obrigada a cuidar da família, a levar o peso absurdo da responsabilidade pela sobrevivência da família, já que suas irmãs e seu pai não fazem nada para porem comida na mesa. Feyre começa a caçar dia e noite na floresta próxima a muralha invisível que separa seu mundo do mundo dos feéricos.


Um dia, no inverno rigoroso, Feyre sai para caçar e acaba matando um lobo. Porém ela não sabia que o lobo na verdade era um feérico que de algum modo misterioso consegui atravessar a muralha. Alguns dias depois de sua caça, uma fera (Tamlin) invadiu seu pequeno casebre a procura de que havia assassinado seu amigo (o lobo). A fera lhe dá duas opções: Ele a mataria ali na hora na frente de sua família, ou iria com ele para Prythiam (o reino dos feéricos). Feyre acaba sendo levada para o reino dos feéricos, e passa a viver lá cercada de diferentes tipos de feéricos, alguns bons outros maus.
No decorrer de muitos dias, Feyre começa a sentir algo por Tamlin e ao mesmo tempo percebe que existe algo de anormal, algo ruim, acontecendo em Prythiam que Tamlin está escondendo dela. Os perigos que cercam a grande mansão do Grão-senhor Tamlin estão cada vez mais aterrorizantes. Feyre precisa descobrir o que esta acontecendo e ajudar seu amado contra a maldição.


O que dizer sobre esse livro maravilhoso?! Não existem palavras para descrever todas as emoções que senti. Perdi o fôlego varias vezes, prendi a respiração varias vezes, gritei varias vezes, e quase fiz menção de jogar o livro no chão várias e várias vezes haha. O livro é inspirado em A Bela e A Fera, então vocês já podem imaginar mais o menos como vai surgir o romance.
Ouvi muita gente falar maravilhas desse livro, principalmente porque se tratava de Sarah J. Maas a famosa autora de Trono de Vidro. Sempre ouvi muito coisa boa também sobre esse livro, porem a sinopse nunca me chamou atenção e nunca tive interesse em ler. Mas agora estou mudando de ideia, depois de ler Corte de Espinho e Rosas, estou curiosa para conhecer uma nova história da autora porque eu amei a escrita dela. 


Comecei a ler esse livro com grandes expectativas, e ao finalizar não me arrependi! O livro começou um pouco fraco, nas cinquenta primeiras páginas tava um pouco parado, porem as coisas ficam interessante quando Feyre começa a explorar coisas novas, um mundo diferente. Além do grande mistério sobre a maldição que esta matando e/ou diminuindo os poderes dos feéricos.
Ficamos o livro inteiro sem saber o que é essa maldição, como ela começou, e quem a lançou. Nas ultimas cento e cinquenta páginas é que descobrimos tudo em detalhes.

Feyre é uma daquelas personagens fortes e guerreiras que eu amo! Ela é a única que “levantou da cadeira” e saiu para batalhar pela sobrevivência da família. Aprendeu a nadar sozinha, aprendeu a pintar sozinha (sua paixão), aprendeu a caçar sozinha, aprendeu a montar e criar armadilhas sozinha e aprendeu a se cuidar sozinha. Nunca teve ajuda de ninguém nem mesmo de seu pai ou de suas duas irmãs fúteis. Ela sempre pensa antes de agir, principalmente depois que foi levada para Prythiam, ela passou a observar tudo, a calcular tudo, a pensar em cada detalhe para sobreviver.


A família de Feyre é ridícula! Ingratos, tolos, miseráveis e péssimas pessoas. Ai que ódio que me dava deles no inicio do livro! O pai de Feyre, depois de perder toda fortuna, ele perdeu a esperança e simplesmente ficou parado sem fazer nada só com tristeza nos olhos. Não se levantou e ajudou a filha mais nova, ele não se ergueu, simplesmente sentou e esperou enquanto Feyre trazia a caça (que nem sempre era um sucesso). As irmãs dela também nadam no mesmo balde que o pai, Nestha a irmã mais velha odiava o pai e Feyre, sempre ignorando Feyre e a olhando com nojo, quando não a estava ignorando soltava farpas desnecessárias para Feyre, Nestha não ajudava em nada também só se preocupando consigo mesma, pensando apenas em si. Elain a filha do meio tem uma personalidade de um anjo, é gentil e educada e se preocupa com Feyre e Nestha (até mesmo com o pai apesar de as três filhas o odiarem), porém também não faz nada e muitas vezes também só pensa em si.


Tamlin é exatamente como a Fera em A Bela e A Fera. O temperamento indo de mal a pior, a bipolaridade dando nos nervos. Porém, assim como a Fera (A Bela e A Fera) tem um coração bom assim como suas intenções. Ele é o Grão-senhor (o governante da Corte Primaveril). Muitas vezes ele me deu nos nervos e não me refiro a suas mudanças de humor, me refiro ao assunto abusivo que vi nesse livro. UMA COISA: NADA JUSTIFICA VIOLÊNCIA! A pessoa pode ter desobedecido a uma ordem, e nem por isso é necessário... Fazer o que ele fez. O engraçado é que as pessoas ficam tipo: “Ah ele é lindo e gostoso então tudo bem fazer isso. Ah ele é o amor dela então tudo bem. Ah ela não escutou ele quando ele disse para ficar no quarto, então ela mereceu...” GENTE, NADA JUSTIFiCA A VIOLÊNCIA! É a mesma coisa que você for à padaria e estiver conversando com alguém, ai a pessoa não gostou do que você disse e então de repente te bate, ou te morde... Ou quando você estiver em um parque e de repente for violada (o), ai você volta pra casa conta o que aconteceu e a pessoa te diz: ah então você não devia ter ido a tal lugar. Não né!  NADA JUSTIFICA A VIOLÊNCIA!
Outra coisa que me incomodou em Tamlin foi a forma como ele ficou parado sem fazer nada por Feyre no final. A situação era bem critica ali, eu sei, porém houve gente que nem é tão próxima dela como ele que a ajudaram: a mãe de Lucien, Lucien e o Rhys (Rhysand). Pessoas que ela mal tem contato (outras que ela nunca viu na vida) que a ajudaram nas horríveis situações, enquanto Tamlin simplesmente a encarava sem expressão e sem mover um músculo! Desnecessário!

Lucien, um personagem legal que foi pouco explorado, adoro ele e fiquei triste por pouco aparecer. Porém amei sua coragem no final do livro, mantendo presença.


Rhysand, outro personagem muito legal que foi pouquíssimo explorado! Um personagem que sei tem uma grande participação no segundo livro (li muitos spoiler do segundo livro haha), mas que nesse primeiro ele só aparece nas últimas cem páginas. Apesar de também ter praticado uma ação abusiva (mesmo ele não tenha agredido ou tentado algo sexual com Feyre, ele fez algo que se aplica ao termo abusivo), ele foi um personagem que lutou e fez algo, um personagem que pelo que percebi se escondeu em uma mascara de mal, atuando como o mal, mas que na verdade ele é a pessoa que mais ajudou Feyre a lutar.


Não engoli muito esse amor de Feyre e Tamlin. Principalmente nesse final que ela arriscou a vida por ele e ele simplesmente ficou... Igual pedra!
Ah, e apesar de não ser um livro erótico, existe cenas (duas na verdade) que descreve com um pouco de detalhe (nada muito detalhado como seria em um livro erótico) as cenas quentes. Mas como eu disse não é tão detalhado, se não esse livro seria considerado erótico haha.


Um livro obscuro, muito, muito, muito bom. Uma leitura muito rápida e deliciosa, li em cinco dias (teria lido em menos se não fosse o trabalho e a faculdade). Deixou aquele sabor, aquele desejo de quero mais, preciso demais! Amei os personagens e amei os cenários. Um mundo realmente lindo que Sarah criou. Super recomendo.


Um comentário:

  1. Resenha incrível! Tô aqui louca pra ler essa série que parece incrível e lógico ter esse livro lindo em mãos!

    ResponderExcluir

Image Map
©MY SECRET BOOKS 2015 ♥TODOS OS DIREITOS RESERVADOS ♥ DESIGN E ILUSTRAÇÃO POR TALITA THOMAZ♥TECNOLOGIA DO BLOGGER.